Dilma: Brasil de Todas as Telas vai fortalecer a nossa indústria audiovisual


O Brasil de Todas as Telas é parte do esforço do governo para fazer justiça a criatividade do país e para transformá-la ainda mais na base de uma pujante indústria cultural nacional, segundo a presidenta Dilma Rousseff. Para ela, o programa lançado nesta terça-feira (1), no Palácio do Planalto, fortalece a indústria, oferta recursos e cria condições melhores para a produção audiovisual brasileira. 

“Esse fundo, e nós estamos falando aí de R$ 1,2 bilhão, é, sem dúvida, o maior programa de apoio à produção audiovisual já implementado no Brasil. É o maior programa, pelo volume de recursos mas, sobretudo, pelo conjunto de iniciativas envolvidas, que abrange a cadeia, os elos da cadeia produtiva, desde o roteiro, a criação do roteiro, até a ampliação e a modernização do parque exibidor, passando pela produção e difusão, e pelo incentivo à pesquisa. Um Programa com um tamanho compatível com o talento, com a criatividade e de nossos produtores audiovisuais”, analisou. 

O programa é de responsabilidade da Agência Nacional do Cinema (Ancine) e do Ministério da Cultura, com recursos do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), o objetivo do Brasil de Todas as Telas é expandir o mercado interno, universalizar acesso da população aos serviços audiovisuais, com investimento na produção, distribuição e programação de conteúdos. 

Em todos os estados, o programa deve resultar em 300 longa-metragens, mais de 400 obras de TV, 2 mil horas de conteúdo para todas plataformas de exibição, além de 450 projetos para cinema e TV e o estímulo de criação em todas regiões do país. O Brasil de Todas as Telas ainda oferecerá 5 mil bolsas para formação e capacitação profissional. Também serão oferecidos cursos de nível técnico em parceria com o Ministério da Educação, por meio do Pronatec Audiovisual – Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego.