Fernando Bezerra (PSB) divulga documento com propostas

Fernando divulga cartilha com principais eixos de mandato no Senado 

Educação, saúde, água, uma reforma tributária mais justa e geração de empregos são os compromissos prioritários defendidos pelo candidato ao Senado Federal pela Frente Popular, Fernando Bezerra Coelho (PSB), que lançou uma cartilha com as principais bandeiras que pretende levar durante seu mandato no Congresso Nacional. O documento traz cinco compromissos que o postulante ao Senado vai priorizar nos próximos oito anos: educação, saúde, água, reforma tributária e geração de mais empregos para os pernambucanos. 

As propostas para segurança hídrica e geração de empregos encontram respaldo no histórico recente de Fernando como secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e ministro da Integração Nacional. O candidato ao Senado foi um dos principais responsáveis pela geração de 560 mil empregos e a construção de 100 mil cisternas e de novas adutoras em nosso estado nos últimos anos. Agora ele quer ser uma força para viabilizar a atração de novos investimentos e mais obras de abastecimento. “Temos potencial, mas as condições precisam ser criadas e o lugar onde os debates acontecem é no Congresso Nacional. Sinto-me preparado para fazer nosso Estado avançar”, afirma Fernando na cartilha. 

Para a saúde e educação Fernando tem duas propostas inovadoras para valorizar os profissionais dessas áreas: propor a criação da carreira federal para professores e trabalhadores do Programa de Saúde da Família (PSF). Além disso, o candidato ao Senado garante que lutará para estabelecer uma porcentagem mínima de 10% dos recursos federais para a saúde e levantar investimentos para a qualificação profissional dos jovens. 

Por fim, Fernando quer defender uma reforma tributária no Senado, que assegure uma melhor distribuição de renda entre a União, Estado e Municípios. “A partilha de recursos no Brasil é um perverso equívoco. A União fica com mais de dois terços de toda riqueza gerada, sobrando pouco menos de 30% para serem divididos entre as cidades e os estados”, explica o candidato. Ele ainda acrescenta nesse compromisso revisar a carga tributária em prol do cidadão comum e dos micro e pequenos empresários: “os altos impostos diminuem a competitividade e acabamos perdendo terreno para produtos estrangeiros. Tributos mais equilibrados podem ajudar os pequenos e médios negócios a crescer, abrindo mais oportunidades de trabalho.”