Trabalhadores em educação rejeitaram a proposta do Governo de Pernambuco

Diante da indignação com o aumento proposto, trabalhadores em educação decretaram novamente a greve em assembleia realizada na manhã desta quinta-feira (21), no Clube Português. Novo encontro está marcado para o dia 29, às 14h, em frente à Alepe.

Os 7% apresentados pelos governistas na última reunião realizada na quarta-feira (20), eram para serem divididos em três vezes, nos meses de junho, outubro e dezembro. O poder público descumpre com a lei federal quando ela determina que o reajuste assegurado em Lei, para os professores em 2015 deve ser de 13,01%. Entre as propostas apresentadas na mesa de reunião, entre representantes de governo e sindicalistas estiveram pontos como o reajuste do vale alimentação só para quem tem 200h, de R$ 7 para R$ 11,20, mantendo o valor já pago para quem tem 150h.

"O governo que colocou a educação no centro do debate, assanhou a categoria ao prometer reajustar em 100% os salários e agora, descumpre com o que está previsto em lei gerando revolta dos professores que decidiram retomar à greve", sublinhou o presidente do SINTEPE, Fernando Melo. Até o dia 28, os professores participarão de intensas mobilizações nos locais de trabalho e no dia 29, eles já amanhecem em greve.

Nessa mesma data é comemorada o Dia Nacional de Luta em Defesa dos Direitos Sociais, sendo a assembleia realizada num período simbólica reafirmando a importância da luta. A categoria se reúne novamente em assembleia no dia 29, às 14h, em frente à Alepe. Na ocasião, os professores deflagarão o movimento paredista. O SINTEPE está elaborando um ofício para entregar ao governo sobre a decisão da categoria. O sindicato mais uma vez, reafirma que está aberto ao diálogo.

Com informações da Ascom / Sintepe