Em Gravatá, a baixa popularidade do processo de intervenção preocupa Paulo Câmara

Governador Paulo Câmara puxa a orelha da intervenção de Gravatá (PE).

Inconformado com baixa popularidade do processo de intervenção estadual, o Governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB) teria se reunido com o interventor Mário Cavalcanti, o secretário de governo Arthur Cunha, com o ex-prefeito Ozano Brito (PSB) e com o líder do governo na ALEPE e deputado estadual Waldemar Borges (PSB).

O governador teria apresentado feedback negativo da intervenção diante a opinião pública nos últimos quarenta dias. Paulo teria demonstrado inquietação com a ligação da imagem dele com o desgaste administrativo do município serrano. Se até março a intervenção não melhore seu desempenho, mudanças poderão ser realizadas.

O grupo político do governador teria encomendado uma pesquisa telefônica no formato CATI para avaliar as intenções de voto dos pré-candidatos a prefeito e a opinião dos gravataenses quanto a intervenção. Em um levantamento feito pela Rádio Clima FM (98.5 MHz), 80% dos ouvintes participantes desaprovam a intervenção.

Com informações do Portal GN