#Opinião: Falta de conexão entre os 25% das intenções de voto e os 63% de aprovação de Geraldo Julio

Aprovação: 63% - intenção de votos: 25%.
Geraldo Julio tem, no início de 2016, aprovação de 63%, segundo pesquisa Exatta, publicada há dois dias na Folha de Pernambuco. Porém, há um mês ele somou apenas 25% das intenções de voto para corrida pela reeleição, conforme divulgou o Instituto de Pesquisa Maurício de Nassau, no Jornal do Commercio. Claro que são pesquisas distintas, mas, ainda assim, a distância entre a aprovação e a intenção do eleitorado chama a atenção. Principalmente porque ele tem na mão a máquina municipal e a Câmara do Recife, além de contar com apoio do governo do estado e de ter feito parcerias na montagem uma rede reforçada na comunicação. 

Quer dizer, como cantava Kátia, não está sendo fácil... e parece que não vai ser mesmo. Em 2012, quando foi eleito para o mandato em curso, Geju tinha o benefício de não ter sido testado e era apadrinhado pelo então governador Eduardo Campos, por quem foi apresentado (inclusive por mensagens telefônicas) como brilhante executor de obras. Ainda assim, escapou do segundo turno por pouco mais de 1,1% dos votos. Agora, mesmo com a gestão aprovada, as pesquisas lhe dão 25% das intenções, o que configura um descompasso a ser "esclarecido" ao longo da campanha. E olha que os concorrentes ainda não se posicionaram e pouco cobram ou enfatizam as muitas falhas da gestão. 

Por enquanto, observa-se que, a despeito dos 63%, há quem considere a administração emperrada, confusa e conservadora - as redes sociais ecoam esse quadro. Também sabe-se que, mesmo com as inaugurações, propagandas de TV e manchetes positivas que virão, Geju não terá padrinho ou cabo eleitoral do porte de Eduardo. Mais adiante, veremos como esses fatores pesarão. Por hora, o "desafio" é observar os desdobramentos da falta de conexão entre os 25% das intenções de voto e os 63% de aprovação... Aguardemos outras pesquisas. De preferência que casem aprovação e intenção.