Artistas criticam contratação e denunciam pagamento de propina nos cachês de shows em Pernambuco

Em áudio enviado a um amigo, o cantor André Rio faz uma grave acusação ao governo de Pernambuco. Ele diz que tem que deixar metade do cachê como "comissão" para fazer os shows. Em outras palavras, o artista afirma que é preciso pagar propina para tocar no estado. Alô, Ministério Público. Abaixo, a transcrição na íntegra do áudio.

"Amigo Claudinho, aqui quem fala é André Rio. Tamo junto parceiro. Tamo junto contra essas safadezas, essas improbidades. Só para o grupo saber: amanhã é dia 23, o dinheiro apareceu hoje. Hoje, me ofereceram quatro shows na Empetur, quatro, e mais dois na Fundarpe. Acontece que eu tinha que deixar metade do meu cachê de comissão. Tá vendo como são as coisas aqui nesse estado, como tá o estado? Agora, tem muito artista que aceita. Aí fica aí no grupo e aceita essas coisas. Depois ficam reclamando pq a gente é tratado desta forma. Se todo mundo não tiver uma postura de hombridade, de não aceitar, de denunciar...eu não pago nenhum tipo de bola. Eu já tenho empresário para isso. Eles têm a obrigação constitucional de promover a nossa cultura. É um absurdo eles chegarem de última hora, oferecem uma cidade longe, pega o cachê e diz que, no meu caso, o cachê é x e eu tenho que deixar metade do x de bola para as pessoas que dirigem esses órgãos, essa esculhambação. Temos que nos juntar e ir no Ministério Público botar para arrombar nesse povo todo. Caba macho mesmo é Alcymar. É o único caba macho que eu conheço, que vai e bota a boca no trombone."

Abaixo, nota do governo de Pernambuco:

"Sobre o áudio gravado pelo cantor André Rio, as secretarias de Turismo e de Cultura do Governo do Estado de Pernambuco, a Fundarpe e a Empetur informam que trabalham segundo as recomendações definidas pelo Tribunal de Contas do Estado e do Ministério Público, seguindo todos os critérios e normas legais nas contratações. O Governo de Pernambuco vai apurar e punirá civil e criminalmente qualquer um que venha a tomar este tipo de atitude na atual gestão. Além disso, vai acionar judicialmente qualquer pessoa que faça acusações inverídicas, para que ele possa informar e provar quem realizou ou propôs este tipo de negociação, tal como o relatado pelo citado cantor."

- Felipe Carreras (secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco)
- Marcelino Granja (secretário de Cultura de Pernambuco)
- Ana Paula Vilaça (presidenta da Empetur)
- Márcia Souto (presidenta da Fundarpe)

Com informações de João Valadares