Campanha lidera no Brasil nova mobilização mundial #100MilhõesPor100Milhões

No Brasil e no mundo lusófono, Daniel Cara será o coordenador da campanha e a Campanha Nacional pelo Direito à Educação será a organização que liderará essa mobilização.

Daniel Cara, coordenador geral da Campanha, participou do “Laureates and Leaders for Children Summit 2016”, em Nova Delhi, na Índia. Juntando a liderança coletiva de cerca de 25 laureados e líderes, jovens e mais de 150 personalidades eminentes, o evento tem um objetivo: construir uma plataforma moral forte para um mundo amigo da criança, globalizando ações pelo fim do tráfico, especialmente em suas piores formas, como a exploração sexual e a escravidão em todos os lugares.

“A Cúpula reúne laureados, líderes de Estado e lideranças da sociedade que possuem história reconhecida na luta pelos direitos das crianças. O objetivo é estabelecer uma conexão e uma plataforma comum de ação política. Foi um lindo primeiro passo”, afirmou Daniel Cara.

Convocada por Kailash Satyarthi, que ganhou o Prêmio Nobel da Paz 2014 pela sua “luta contra a repressão das crianças e dos jovens e pelo direito de todas as crianças à educação”, a cúpula foi concebida para explorar o enorme poder intelectual e moral, a experiência, resiliência e paixão dos líderes estabelecidos para se concentrar nas crianças em maior situação de vulnerabilidade do mundo.

Ainda, a cúpula lançou a campanha #100MilhõesPor100Milhões. Mais de 1000 crianças estavam reunidas no lançamento, que contou com a presença do Presidente da Índia, Pranab Mukherjee e dos laureados e líderes. No Brasil e no mundo lusófono, Daniel Cara será o coordenador da campanha e a Campanha Nacional pelo Direito à Educação será a organização que liderará essa mobilização.

“Tudo está em construção, mas o objetivo da nova campanha, idealizada por Kailash, é mobilizar 100 milhões de pessoas, estimulando especialmente os jovens, para lutar pelos direitos de 100 milhões de crianças que vivem na extrema pobreza, sem acesso à saúde, educação e alimentação, em uma situação de completa insegurança“, afirmou Daniel Cara.