Banco do Brasil divulga regras para uso do rotativo do cartão de crédito

O Banco do Brasil anuncia hoje, 15, as novas condições para utilização do Rotativo do cartão de crédito, com início de vigência previsto para 3 de abril, válidas para todos os cartões de pessoas físicas e jurídicas oferecidos pela Instituição. As novas regras, previstas na Resolução nº 4.549 do Conselho Monetário Nacional (CMN), limitam o uso do rotativo pelo período máximo de 30 dias.

Com a mudança, a partir das faturas que vencem em 3 de maio os clientes terão que obrigatoriamente liquidar o saldo remanescente da fatura anterior ou contratar um parcelamento. Outra novidade refere-se ao valor pagamento mínimo da fatura, que passa a ser composto pelo saldo não pago da fatura anterior, se houver, somado aos encargos do rotativo, mais 15% sobre os gastos do mês, mais o valor das parcelas de financiamentos de faturas anteriores, caso existam.

Assim, num exemplo hipotético, uma pessoa que tenha uma fatura de cartão no valor de R$ 200 no início de abril e só efetuar o pagamento mínimo (R$ 30, correspondente a 15% do valor total da fatura), deixará um saldo de R$ 170. Imaginando ainda que, no decorrer de abril, ela acumule mais R$ 50 em novos gastos e tenha uma parcela de financiamento de fatura anterior no valor de R$ 20, a fatura a vencer no início de maio terá o valor de R$ 240 mais os encargos do rotativo do mês anterior. Neste caso, o total a ser obrigatoriamente pago a título de valor mínimo, no início maio, será equivalente a: R$ 170 (saldo que ficou em aberto do período anterior) acrescido de R$ 7,50 (considerando um pagamento mínimo de 15% dos gastos do mês) e do montante de encargos, mais o valor da parcela do financiamento de fatura já contratado, de R$ 20.

O cliente continuará a ter a opção de escolher a condição de parcelamento da fatura que preferir, por meio dos canais do BB. Caso contrário, o parcelamento será feito automaticamente em 24 meses, desde que haja pelo menos o pagamento de valor igual ou maior que o valor exigido como entrada.

Em janeiro o BB antecipou parte dos efeitos das medidas e promoveu a redução de 4 pontos percentuais nas taxas de juros do crédito rotativo. As taxas atuais da linha de parcelamento da instituição estão entre 3,13% e 9,38% ao mês.

“As mudanças são fruto do diálogo entre o sistema financeiro e o Governo Federal e representam um importante passo para retomada da economia e a reorganização do orçamento das famílias”, afirma Paulo Caffarelli, presidente do BB.

As novas regras pretendem contribuir para a diminuição do comprometimento de renda dos consumidores que utilizam o crédito rotativo do cartão e fortalecem a estratégia adotada pelo BB, que estimula os clientes a utilizarem o cartão de crédito de forma consciente e em seu favor.

Comunicação aos clientes - A partir de março, o BB iniciará ampla campanha para divulgação das medidas que serão implementadas em abril, tendo como objetivo principal facilitar ao máximo o entendimento das novas regras. A Rede de Agências e Centrais de Atendimento também passarão por treinamento e a instituição estuda outras formas de oferecer suporte aos clientes para esclarecimento de dúvidas.

Para Rogério Panca, diretor de Meios de Pagamento no BB, “a divulgação dessas mudanças à nossa base de portadores de forma eficiente exige toda a nossa atenção, e vamos dedicar um esforço maior ao público que se utiliza do crédito rotativo de forma regular.”

A instituição já oferece o parcelamento de fatura de forma ostensiva aos seus clientes, além de diversas ferramentas para controle e acompanhamento de gastos, a exemplo do aplicativo Ourocard e os alertas de uso do cartão e de permanência no rotativo.

Fonte: Assessoria de Imprensa