Nota Oficial da "A Casa do Cachorro Preto" sobre notificação da Prefeitura de Olinda determinando fechamento do espaço

A Casa do Cachorro Preto encerra, oficialmente, as atividades no número 99 da rua 13 de maio, em Olinda. Fomos (in)devidamente notificados para cessar todas as nossas ações. Recebemos uma notificação da Prefeitura determinando o nosso fechamento alegando "irregularidade", "perturbação da ordem" e "inadequação das atividades" no setor do Sítio Histórico.

Passamos março, abril e maio procurando responder o que não tinha sido perguntado e debater o que foi ignorado. Procuramos as autoridades para apresentar A Casa, mostrar nossa programação, solicitar orientação para adequação às regras da cidade e nossa disposição e propósito de continuar desenvolvendo nossos trabalhos em Olinda, uma cidade com plena vocação, histórica, boêmia, transgressora, inspiradora, e não merece ficar parada.

O reconhecimento público do papel que cumpre A Casa do Cachorro Preto para a cultura, infelizmente, não cabe nos poderes públicos de Olinda na atual conjuntura... O que grita para gente como a ausência de um equipamento sequer funcionando com atividade regular, perturba muito mais a ordem, com toda certeza. E Olinda está assim, com vários espaços de atividades diversas sendo compulsoriamente fechados.

O conceito e as atividades da Casa são integradas. Um lugar de convivência. Um espaço cultural. Artes visuais, literatura, teatro, circo, música, aqui tem lugar. E pra gente só tem sentido se for assim. Por isso viramos matilha. Cheia de gente que cria, batalha e se junta pras coisas acontecerem. Não temos como permanecer sendo "irregulares". Como todo trabalho, precisamos nos manter, pagar as contas, cuidar e investir no espaço. Para quem vive do que produz, parar por 3 meses inviabiliza a sustentabilidade de qualquer atividade.

Não somos um endereço. E da nossa natureza solta, estaremos de andada, passeando com o Cachorro em outros ares. Levar a Casa pra onde a gente for.Cada um que passou nesse endereço está destinado a ganir por onde passar. Não vamos parar por aqui. O movimento é constante e ainda temos muita coisa pra ajeitar por dentro e por fora das nossas ideias. 

Esse será um chamado pra nos reunir e enfrentar o que tiver de atrasado e retrógrado pela frente. Enquanto estivermos livres vamos nos juntar pra fazer nossos barulhos e nossos rabiscos e nossas mungangas, e tudo mais que a liberdade nos permitir. Por enquanto não teremos novo endereço. Aqui, vamos manter o escritório, a lojinha física e vamos dividir o espaço com outros parceiros.

Fonte: Assessoria de Imprensa