Aumento de homicídios de mulheres negras em Pernambuco

Dados divulgados pela Organização das Nações Unidas (ONU) em parceria com a Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso), revelam que o número de homicídios contra mulheres negras em Pernambuco cresceu 19,8% entre os anos de 2003 e 2013. As informações fazem parte do "Mapa da Violência 2015: Homicídio de Mulheres", levantamento divulgado em setembro/2017.

Em 2003, foram 187 mulheres negras assassinadas, contra 224 mulheres negras mortas em 2015. No caso dos homicídios de mulheres brancas, Pernambuco registrou queda de 50,9%. Em 2003, foram assassinadas 53 mulheres brancas, enquanto foram mortas 26 em 2013.

Apesar dos números alarmantes registrados contra a população negra, o estado registrou uma queda de 15,6% nos casos de feminicídios no mesmo período, ainda de acordo com o Mapa. Já entre 2006, ano da promulgação da lei Maria da Penha, e 2013, apenas cinco estados apresentaram queda nas taxas de homicídios de mulheres. Além de Pernambuco, Rondônia, Espírito Santo, São Paulo e Rio de Janeiro integram a lista.

Em 2006, a taxa era de 9,4 mulheres mortas para cada 100 mil no estado pernambucano. Em 2013, a taxa passou para 7,2, representando uma queda de 23,4%.

De acordo com a Secretaria da Mulher de Pernambuco, de janeiro a agosto deste ano (2017), foram 69 crimes de feminicídios registrados no estado. A secretária estadual da Mulher, Sílvia Cordeiro, acredita que a rede de atendimento, políticas públicas voltadas para o gênero, maior segurança no estado e as conhecimento dos direitos das mulheres foram essenciais para chegar à diminuição do feminicídio, mas ainda há muito a ser feito. “Principalmente a questão do machismo que ainda é muito resistente. Esse é um desafio contínuo. Por isso estamos com muitas campanhas, se aproximando do público masculino para tentar fazer essa reversão da cultura do machismo”, diz.

Com informações do G1 e DP