Deputado Tadeu Alencar (PSB) fala sobre a relação do governo Temer com Pernambuco

“Pernambuco não vem tendo o tratamento que merece”. É esta a constatação do deputado federal Tadeu Alencar (PSB) ao falar sobre a relação entre o Poder Central e o Governo do Estado ao longo de 2017. Segundo Tadeu, Pernambuco vive uma retaliação explícita do Governo Federal, que, por exemplo, marcou por três vezes uma vinda do Presidente Michel Temer para devolver a autonomia de Suape, o que não se concretizou.

“Vamos exigir tratamento diferente do que Pernambuco vem recebendo. É por isto que lá na frente vai ficar difícil a quem hoje dá suporte ao governo mais impopular da história, pretender autoridade política para dizer que Pernambuco quer mudar. Pernambuco quer continuar mudando, porque vem mudando desde 2007, com uma transformação vigorosa no cenário social e econômico, iniciada pelo governador Eduardo Campos e continuada por Paulo Câmara”, ressalta Tadeu.

O parlamentar também lembra que o Governo Temer liberou apenas 40% da emenda de bancada de Pernambuco, de execução obrigatória, de R$ 168 milhões, para a Adutora do Agreste, obra essencial para a assistência hídrica para mais de 60 cidades. “A adutora do Agreste praticamente paralisou o ano passado. Foi preciso gestões do governador Paulo Câmara para que se pudesse, ainda muito insuficientemente, retomar o seu ritmo”, afirma Tadeu relembrando que a execução da obra deveria ser de responsabilidade do Governo Federal mas que o Governo de Pernambuco se dispôs a executá-la, com recursos da União, que pararam de ser repassados.

Tadeu lembra também do empréstimo de R$ 600 milhões que Pernambuco ainda não teve liberados, apesar de contar com espaço fiscal. “Diferentemente de estados ricos da federação, Pernambuco vem fazendo seu dever de casa, com as contas ajustadas. Desde 2015, o governador Paulo Câmara, que conhecia a realidade fiscal do Estado e que como economista vislumbrou os tempos sombrios que íamos atravessar na economia, cuidou de fazer um freio de arrumação, de diminuir despesas de custeio para garantir hoje os investimentos que estão sendo feitos no Estado”, destaca.

Ainda segundo o parlamentar, as medidas adotadas pelo governador Paulo Câmara, independente do que poderá vir do Governo Federal, serão suficientes para cumprir a maioria dos compromissos firmados em praça pública com o povo pernambucano.

“Os investimentos estão sendo feitos num momento de crise federativa, que levou Pernambuco a reduzir em 70% a sua arrecadação. Mesmo assim, Pernambuco é um canteiro de obras, a despeito da recessão, da crise econômica, do modelo federativo e da retaliação imposta pelo Governo Federal aos pleitos de interesse do nosso Estado”, conclui Tadeu Alencar.

Fonte: Assessoria de Imprensa