MEC muda Base Nacional Comum Curricular, que será votada nos dias 6 e 7 de dezembro

O Conselho Nacional de Educação vota nos dias 6 e 7 de dezembro (quarta e quinta-feiras da semana que vem) em sessões públicas o parecer sobre a Base Nacional Comum Curricular, documento que descreve as aprendizagens essenciais a serem trabalhadas na educação infantil e no ensino fundamental. O Ministério da Educação enviou na quarta-feira (29) um documento modificado da BNCC ao CNE, considerado por muitos conselheiros uma “versão 4” da Base.

Os conselheiros receberam o novo documento da Base por CD e ainda estão analisando seu conteúdo. Vários deles elogiaram a disposição do MEC de acatar na “versão 4” várias sugestões feitas pelo CNE (muitas delas colhidas nas cinco audiências públicas realizadas em meados do ano).

A semana que vem será quase toda dedicada à análise da BNCC e do parecer conjunto redigido pelos redatores Francisco Soares e Joaquim Soares Neto, ambos ex-presidentes do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais).

A Comissão Bicameral da BNCC se reúne na segunda-feira (4/11) das 10 às 13 horas e das 14 às 18 horas. Na terça (5/11), os debates se concentram entre 15 e 18 horas.

A votação e discussão do parecer, com a participação do pleno do CNE, que tem 24 integrantes, vai se estender das 9 às 13 horas e das 15 às 18 horas tanto no dia 6 quanto no dia 7. Embora a reunião seja aberta (e conselheiros acreditem que grupos organizados como os que se opõem a menções a gênero na Base estarão presentes), não há previsão de transmissão ao vivo.

O parecer, segundo conselheiros, é bastante técnico, passando ao largo das polêmicas que envolvem a BNCC. Vai abordar os marcos que levaram à construção da Base e sua conformidade com a legislação vigente.

Os conselheiros têm liberdade de pedir vistas do processo, propor emendas e até apresentar pareceres alternativos. Se houver pedido de vistas, a votação será transferida para a próxima reunião do CNE, prevista para janeiro. Mas o presidente do CNE, Eduardo Deschamps, pode convocar uma reunião extraordinária ainda em dezembro. Nessa reunião extraordinária pode haver novos pedidos de vista, mas Deschamps tem a prerrogativa de negá-los.

Depois de aprovado o parecer, o CNE vai definir um projeto de resolução, que será publicado tendo a Base como um anexo – para deixar claro que se trata de um documento do MEC que recebeu um aval formal do Conselho. O projeto vai retomar elementos do parecer e estabelecer alguns parâmetros, como prazo máximo de implementação da BNCC (os relatores concordaram em deixar esse prazo em branco no parecer, para ser discutido na semana que vem) e em quanto tempo a Base deve ser revista.

O projeto de resolução também vai tratar das implicações da Base em outras esferas do processo educacional. Ele indicará, por exemplo, a necessidade de os editais de compras de livros didáticos e de as matrizes de processos de avaliação se adaptarem ao que está prescrito no documento do MEC.

Fonte: Jeduca

Postagens mais visitadas deste blog

Reitora da UFRPE e secretário de Educação realizam reunião sobre creche escola em Dois Irmãos

Rodrigo Coutinho inicia reuniões da Comissão Especial do Plano Diretor do Recife na Câmara

TCE alerta DER para irregularidades na execução de contrato da BR-101

Após polêmica, Comissão de Cidadania define Juntas na presidência

Coluna do #BlogPautaPolítica

Em primeiro discurso na ALEPE, João Paulo Costa destaca prioridades do seu mandato

Coluna do #PautaPolíticaPE

"Vocês são considerados bandidos e assassinos", disse deputado ao presidente da Vale

Casal de bonecos, Zé Pereira e Vitalina, fazem tradicional viagem de barco pelo Velho Chico para anunciar o Carnaval

Wanderson Florêncio defende parque na Zona Sul do Recife e enfrenta protestos