Partidos aproveitam último mês do ano para articular nomes para a disputa pelo governo de Pernambuco em 2018


Não tão distante das eleições de 2018, uma série de cenários começam a se desenhar e palanques a se formarem para a sucessão ao governo de Pernambuco. O ultimo mês do ano está literalmente na agenda dos principais nomes cotados para concorrer ao comando do Palácio do Campo das Princesas. 

Se o governador Paulo Câmara (PSB) tem intensificando sua agenda oficial com investimento na Segurança Pública nos municípios do interior pernambucano, outros prováveis candidatos a sucedê-lo, como o senador Armando Monteiro (PTB), o ex-ministro e deputado federal  Bruno Araújo (PSDB) e o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB), apostam nos encontros com lideranças e nas redes sociais. Paralelo à movimentação, o ministro da Educação e deputado Mendonça Filho (DEM) tenta se manter no pário, fazendo visitas aos correlegionários sempre que possível e agilizando principais obras na área educacional no Estado.

Até o momento não se sabe qual é a definição do governador Paulo Câmara se concorrerá à reeleição ou se os socialista vão apostar em outro nome. Outros que faltam definir que caminho seguirá é o vice governador Raul Henry e o deputado federal Jarbas Vasconcelos, ambos do PMDB, e qual o grupo peemedebista terá mais força, seja para emplacar candidatura própria do recém-chegado Fernando Bezerra ou tentar mais uma eleição com a vaga de vice-governador. O PSDB e o DEM podem se juntar a uma candidatura do G4 da oposição, dependendo de quem for o titular. Na avaliação dos envolvidos, tudo pode acontecer.

Uma ala do PSDB tem no deputado federal Daniel Coelho o candidato com um grande potencial eleitoreiro, pois concorreu nas últimas eleições de 2012 e 2016 a prefeito do Recife com boa votação. Esbarra, na falta de apoio e disposição de alguns tucanos. Já o ex-ministro Bruno Araújo recém-saído do governo Temer pretende fazer uma cúpula forte no ninho dos tucanos para poder alavancar o seu nome para uma vaga no Executivo.

O petebista Armando é o que vem mais articulando e fazendo uma frente forte, como nas eleições de 2014, que o PTB caminhou junto ao PRB, Podemos e Avante. Nas eleições de 2018 o cenário será semelhanteQuem quer entrar no páreo é a vereadora do Recife, Marília Arraes (PT), sobrinha do velho Miguel Arraes, prima do ex-governador Eduardo Campos, atualmente uma das principais aliadas do ex-presidente Lula e conta com apoio de vários petistas. Mas o próprio deputado estadual Odacy Amorim é um outro nome dentro do Partido dos Trabalhadores. O PSOL também está de olho na disputa e pretende lançar um candidato novo, segundo informações será o vereador do Recife, Ivan Moraes.

Saiba mais: G4 da oposição prepara grande ofensiva política em Pernambuco