Português/Aeso conquista o octacampeonato brasileiro de handebol

Pernambuco foi soberano no Campeonato Brasileiro de Handebol adulto feminino, que terminou neste domingo, em Manaus, no Amazonas. Isso porque o Português/Aeso e o BPE/Santa Cruz passaram por todas as fases da competição e decidiram o título, neste domingo, com vitória das lusas, que chegaram ao octacampeonato nacional. Esta foi a primeira vez que o Santa Cruz ficou com a medalha de prata do Brasileiro. O troféu foi levantado pela goleira capitã Carla Sandra, após a vitória de 25x21 e uma verdadeira festa pernambucana em quadra.

O Português/Aeso, maior campeão brasileiro deste século, esteve à frente do placar durante todo o jogo, com direito a uma série de trocas durante a partida. As lusas fecharam o primeiro tempo por 15x08. No segundo, se manteve à frente até o final, com 25x21.

As lusas ainda contaram com três atletas na seleção do campeonato, sendo elas Ana Cecília (melhor ponta direita), Jessica Silvia (melhor lateral direita) e Talita Cibele (melhor central e artilheira). “Fizemos um Brasileiro impecável. Terminamos invictos, sem perder nenhum jogo em nenhuma das fases. Isso é resultado de muito trabalho. Treinamos todos os dias de tarde, suamos a camisa, nos dedicamos e agora fomos campeãs. É muito boa essa sensação de dever cumprido”, afirmou a lateral Jéssica Silva.

Quem conhece o handebol pernambucano sabe o quanto esta final é importante para o Português/Aeso. Não apenas pelo título, mas também pelo vice-campeonato do Santa Cruz, pois o time tricolor é formado por atletas lusas que terminam não participando do time principal. "Temos uma série de atletas e um número reduzido para o Brasileiro. Por isso, há alguns anos nos cedemos parte do nosso elenco para o Santa Cruz disputar competições locais e nacionais. Isso mostra que o Português tem o melhor e o segundo melhor time de handebol feminino do Brasil", afirmou o diretor de esportes luso, Felipe Rego Barros.

Na disputa do bronze, o P. Montes Claros (MG) levou a melhor contra o HCM/IFAM/B2/Braziloc (AM) por 31 a 26 (18 a 15 no primeiro tempo) e terminou com o terceiro lugar.
Já o Rio Negro (AM) bateu o PSC (PA) por 28 a 27 (12 a 10 no primeiro tempo) e acabou com a quinta colocação - o Adalberto Valle/Nassau/Sejel (AM), que não entrou em quadra no sábado, ficou com a sétima posição.

Tabela final
Terça-feira (5)
PSC (PA) 25 x 36 BPE/Santa Cruz (PE)
P. Montes Claros (MG) 41 x 19 Adalberto Valle/Nassau/Sejel (AM)
Português/Aeso (PE) 33 x 30 Rio Negro (AM)

Quarta-feira (6)
Português/Aeso (PE) 24 x 24 BPE/Santa Cruz (PE)
HCM/IFAM/B2/Braziloc (AM) 38 x 28 Adalberto Valle/Nassau/Sejel (AM)
Rio Negro (AM) 29 x 26 PSC (PA)

Quinta-feira (7)
Português/Aeso (PE) 41 x 21 PSC (PA)
P. Montes Claros (MG) 33 x 28 HCM/IFAM/B2/Braziloc (AM)
Rio Negro (AM) 31 x 32 BPE/Santa Cruz (PE)

Sexta-feira (8)
PSC (4º colocado chave A) 44 x 26 Adalberto Valle/Nassau/Sejel (3º colocado chave B)
P. Montes Claros (1º B) 16 x 31 BPE/Santa Cruz (2º A)
Português/Aeso (1º A) 38 x 22 HCM/IFAM/B2/Braziloc (2º B)

Sábado (9)
Disputa do 5º lugar - PSC (PA) 27 x 28 Rio Negro (AM)
Disputa do bronze - P. Montes Claros (MG) 31 x 26 HCM/IFAM/B2/Braziloc (AM)
Disputa do ouro - BPE/Santa Cruz (PE) 21 x 25 Português/Aeso (PE)

Fonte: Assessoria de Imprensa