Mais uma baixa no governo Michel Temer e novas mudanças no ministério

O ministro Marcos Pereira entregou nesta quarta-feira (03/01) ao presidente Michel Temer o pedido de exoneração, por razões pessoais. Os detalhes são explicados na carta, divulgada nas redes sociais do ex-ministro. Marcos é presidente Nacional do PRB (Licenciado), será que com essa saída demonstra o desembarque da legenda do governo peemedebista.

Alguns trechos destaque do documento:

“Assumimos um governo falido, despedaçado, com todos os índices econômicos negativos e sem perspectiva de melhoria a vista.”

“No ministério não fiz grandes mudanças estruturais para acomadar aliados...”

“Embora não tenha sido possível entregar ao País, por fatores alheios à nossa vontade, uma política automotiva compatível com a grandeza e a importância desta cadeia produtiva...”

Marcos Jorge de Lima, secretário-executivo da Pasta, segue interino até uma definição do Palácio do Planalto.

Baixa no Ministério do Trabalho - O ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, pediu demissão do cargo no final de dezembro do ano passado. Na carta de demissão apresentada ao presidente Michel Temer, Nogueira disse que deixou o cargo porque vai se candidatar nas eleições deste ano.

“Como decidi que apresentarei meu nome à elevada apreciação do povo gaúcho nas eleições do ano que vem, e de forma coerente com aquilo que sempre preguei, venho por meio desta pedir minha exoneração do cargo de Ministro de Estado do Trabalho”. Deputado federal pelo PTB do Rio Grande do Sul, Nogueira pode tentar a reeleição, mas ainda estuda a possibilidade de concorrer a outro cargo em 2018, segundo sua assessoria.

O PTB divulgou o nome do novo  ministro que seria o deputado maranhense Pedro Fernandes, mas o Planalto nem chegou a confirmar. Temer pediu ao partido que encontrasse outro caminho. E o presidente da legenda, Roberto Jefferson, indicou a filha Cristiane Brasil. Tudo fica em um governo de família.