Usuários reclamaram da diminuição de ônibus no período de carnaval em Olinda e Recife

No período de Carnaval - do dia 9 até o fim desta quarta-feira de cinzas (14), no Recife e Olinda foi uma mega maratona para pegar o busão. Depois de tanta diversão, o estresse tomou conta de uma grande parcela dos foliões na volta para a casa, no Cais de Santa Rita: a demora do transporte público na madrugada foi constante. Já em Olinda, a maratona era os ônibus pararem no ponto de embarque/desembarque em frente ao número 1994, na Avenida Gov. Agamenon Magalhães, e na frente do nº 676, na Av. Pan Nordestina durante a noite e a madrugada.

O ambulante Lourenço Ferreira, 39 anos, trabalhou no Carmo e precisava pegar o ônibus para Caxangá, disse que todo ano é a mesma coisa, mais este carnaval foi pior. “Todo ano é essa demora de ônibus. A gente fica a deriva e para piorar os ônibus não param. Faltou colocou fiscalização nas ruas para monitorar os ônibus. Aqui (Olinda), eu fui queimado todos os dias nessa parada depois do viaduto. Não pensaram nos foliões e nem nos trabalhadores que utilizam o transporte público nesse período. Passei uma hora e quarenta minutos esperando um ônibus parar. Foi uma humilhação ter que passar por isso, todos os dias do carnaval”, reclamou.

A bailarina Joana Félix, 28 anos, trabalhou no Alto da Sé e moradora de Casa Amarela, também reclamou do serviço. “O Governo não disponibilizou ônibus suficiente, as empresas de ônibus parece que diminuem a frota e aí a gente é quem ficou no prejuízo, teve dias que passei mais de duas horas esperando, além da demora no Terminal do Cais de Santa Rita.”

Vale lembrar que as reclamações foram registradas durante uma dia da folia (segunda de Carnaval), e por volta das 23h30 nas paradas citadas a cima em Olinda e depois no Cais de Santa Rita. Só resta saber se no próximo Carnaval, os foliões vão passar por estes transtornos novamente.