Registro oficial de candidaturas à presidência começa dia 10 de junho

O prazo para registro oficial de candidaturas para a eleição de outubro no Tribunal Superior Eleitoral começa em 10 de junho. A partir desta data os partidos têm permissão para realizar as convenções e anunciar o nome de seus concorrentes.

Até lá, segue a fase de pré-candidaturas, quando os políticos afirmam sua intenção de disputar um cargo, mas ainda precisam da confirmação do partido e do TSE. Até o momento, onze nomes já se colocaram como pré-candidatos para a Presidência da República, sendo duas mulheres.

Marina Silva, ambientalista e ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula, confirmou em dezembro que deve disputar a vaga pela terceira vez pela Rede. A ex-deputada federal e atualmente deputada estadual no Rio de Grande do Sul, Manuela 'Ávila, do PCdoB, fez o lançamento de sua pré-candidatura em novembro.

A pré-candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo PT, é a que tem mais repercussão. Isso por que ele corre o risco de ficar fora da disputa já que em janeiro foi condenado em segunda instância pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Lula ainda tem direito a um último recurso na corte, se a decisão for mantida, ele pode ser preso e considerado impedido pela Lei da Ficha Limpa. Além de Lula e Manuela Dávila, entre os nomes que se apresentam como candidatos de partidos da esquerda estão Guilherme Boulos, filósofo e líder do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, que anunciou sua pré-candidatura pelo Psol no início de março; e Ciro Gomes, ex-governador do Ceará e ex-ministro da Fazenda do governo Itamar Franco, lançado como pré-candidato também em março pelo PDT.

Pelo menos dois nomes aparecem como possíveis candidatos do governo Temer. Rodrigo Maia, do Democratas, atual presidente da Câmara, é um deles, apesar de se colocar como independente. O outro é o atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, anunciado como pré-candidato pelo seu partido, o PSD, ainda em setembro de 2017.

Ainda na base aliada do governo, estão os pré-candidatos pelo PSDB, Geraldo Alckmin, atual governador de São Paulo e que já disputou à presidência uma vez, e Jair Bolsonaro, que se filiou ao PSL e confirmou no início de março sua intenção de se candidatar. Outros dois nomes com as pré-candidaturas anunciadas são o senador Álvaro Dias, do Podemos, e o empresário João Amoêdo, que deve concorrer pelo Partido Novo.

As eleições presidenciais ocorrem em todo o país em outubro, sendo o primeiro turno no dia sete e, caso ocorra, o segundo turno no dia 28. Outras informações sobre o pleito no site tse.jus.br.

Fonte: Rádioagência Nacional