Transformaram o INEP em agência de intermediação e aplicação de provas?

O professor da UFABC, Salomão Ximenes, publicou em sua rede social um importante comentário que vale a pena ser questionado sobre 'a possível' utilização do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) para outros fins. 

"O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) gastou, em 2017, R$ 2,87 milhões de reais em Estudos e Pesquisas Educacionais, o equivalente a 0,21% de seu orçamento. Em Exames e Avaliações da Educação Básica foram gastos R$ 1,03 BILHÃO, quase 3/4 do orçamento! Quando falamos que transformaram o INEP, uma instituição pública essencial para o desenvolvimento da educação brasileira, em agência de intermediação e aplicação de provas, esse é o ponto." escreveu Salomão.

"De um lado, encontraremos o mercado da avaliação educacional, de outro, os mercadores de ilusão e os vendedores de bala de prata com seus sistemas de gestão e de ensino produzidos sob medida para entregar o ganho na avaliação. Por vezes, quem produz a prova vende a fórmula de treinamento para resolvê-las. Como pano de fundo, o fanatismo das avaliações externas padronizadas como eixo da política educacional e a fé de que seus resultados são expressão rigorosa da qualidade do ensino. Para não falar no uso vulgar dos resultados pela mídia e no verdadeiro parque de diversões que são os ensaios de correlações econométricas, em geral amadoras quando não ideologicamente orientadas." destacou Ximenes.



Salomão Ximenes é professor Adjunto do Bacharelado em Políticas Públicas da Universidade Federal do ABC (UFABC), atualmente exercendo a função de coordenador do curso, doutor em Direito do Estado pela Universidade de São Paulo – USP (2014), com graduação em Direito (2001) e mestrado em Educação Brasileira pela Universidade Federal do Ceará – UFC (2006).

De acordo com informações do Portal do INEP, "o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) é uma autarquia federal vinculada ao Ministério da Educação (MEC)". Atualmente, "sua missão é subsidiar a formulação de políticas educacionais dos diferentes níveis de governo com intuito de contribuir para o desenvolvimento econômico e social do país".