"A paralisação dos caminhoneiros" por Vandevaldo Nogueira

Caminhoneiros envolve motoristas assalariados, autônomos que são proprietários de seu próprio veículo, pequenas, médias e grandes empresas de transporte. A decisão de fazer 'greve' com certeza não foi do setor assalariado, mas dos proprietários e empregadores. Segundo ouvi, 30% são autônomos e o restante, 70% são de empresários.

A impopularidade do Governo Temer, volúpia da Petrobras e a alta carga tributária da união e dos estados no preço dos combustíveis, elevam os valores e sobra para os consumidores diretos e indiretos - via aumento de preços nos produtos.

Os empresários querem maximizar os seus lucros e emparedaram o governo federal, causando uma 'felicidade inconsciente' na população que rejeita e quer ver o Temer pelas costas.

O caos estabelecido na sociedade é grande e poderá aumentar. É o que assistimos nos meios de comunicação.

Quem são os parlamentares representantes das grandes transportadoras? O que pretendem barganhar?

Outros grupos empresariais e poderosos no congresso, resistem a pagar essa conta. Vai sobrar pra quem?

A turma que apoiou o golpechment está com o rabo entre as pernas.

O desafio é canalizar as insatisfações numa perspectiva política democrática que priorize a inclusão social e o fortalecimento de espaços de participação e organização social.

O risco maior está em saídas politiqueiras, arrumadinhos eleitorais, lixo debaixo do tapete e mais do mesmo. O que pode dar combustível a saídas autoritárias e retrógradas.