Geraldo Alckmin avança sobre o Centrão e bloqueia Ciro Gomes

Sem alianças firmadas com o PCdoB de Manuela D´Ávila, o pré-candidato do PDT, Ciro Gomes, tem atuado para fechar acordos com os partidos do chamado 'Centrão', que podem definir a disputa presidencial. Conversas do tucano Geraldo Alckmin (PSDB), no entanto, podem alterar esse cenário.

O presidenciável do PSDB fechou sua primeira aliança, com o PTB de Roberto Jefferson - a Executiva Nacional do partido aprovou o apoio ao tucano por unanimidade nesta quarta-feira 18. A legenda acrescenta 32 segundos ao tempo de Alckmin no horário eleitoral de rádio e TV.

O PR de Valdemar Costa Neto, que chegou a cogitar fechar uma chapa com Jair Bolsonaro (PSL), também acena para o ex-governador paulista. Segundo nota da coluna Painel, da Folha, nesta quinta, Costa Neto, embora não tenha batido o martelo, disse ao partido ter preferência por Alckmin, desagradando as alas que preferem o pedetista.

Para ele, o tucano, além de ser de seu Estado, São Paulo, tem perfil mais previsível do que o explosivo Ciro. Seja quem for, o grupo indicará Josué Gomes (PR-MG), filho do empresário José Alencar, ex-vice de Lula, para a vaga de vice.

Mal nas pesquisas, Alckmin aproveitou a oportunidade de abertura do PR para conversar pessoalmente com Ciro Nogueira, presidente do PP, e por telefone com ACM Neto, do DEM. Marcos Pereira, do PRB, também conversou com ele, informa ainda a coluna Painel.

Enquanto isso, o PV, cujo apoio era dado como certo a Alckmin, pode optar pela neutralidade, deixando ainda mais indefinido o cenário do Centrão, essencial para alavancar as campanhas tanto do PSDB quanto do PDT, que patinam entre 4% e 7% das intenções de voto.

Fonte: Brasil 247