No dia nacional da saúde, oftalmologista orienta como cuidar da visão

Tabagismo, maus hábitos alimentares, sedentarismo e até predisposição genética podem desencadear diabetes, hipertensão e problemas cardiovasculares. Além de afetar a saúde em geral, essas doenças podem prejudicar a visão, especialmente a retina, camada fina que forra a parte interna do olho, sendo responsável por formar a imagem. No Dia Nacional da Saúde comemorado neste domingo (05), o oftalmologista Marcelo Valença, retinólogo do Instituto de Olhos do Recife, alerta que o exame oftalmológico periódico e anual é essencial para prevenir danos à visão. “Pelo fato de muitas doenças não apresentarem sintomas oculares, na fase inicial, consultas e exames preventivos são de suma importância tanto para quem padece dessas doenças, como para a população em geral. Os pacientes devem consultar o oftalmologista ao menos uma vez ao ano”, reforça.

Segundo o doutor Valença, dentre as doenças mais comuns, que podem afetar a retina, estão a hipertensão arterial e o diabetes. A Retinopatia Hipertensiva e a Retinopatia Diabética são as manifestações dessas patologias na retina. “Além do controle periódico da pressão arterial, pacientes hipertensos precisam fazer acompanhamento com o oftalmologista”, explica. Já quem sofre de Retinopatia Diabética, caracterizada por pequenas lesões na retina, deve controlar a glicemia e consultar o oftalmologista periodicamente. Em ambos os casos, o paciente deve realizar o exame de fundo de olho anualmente.

Alguns tipos de câncer e seus tratamentos, especialmente a radioterapia, também têm consequências adversas para a retina. As metástases (disseminação do câncer), por exemplo, afetam as camadas internas do olho. Já a Retinopatia por Leucemia e a Retinopatia por radiação podem causar danos a essa região do olho. “Além disso, drogas como o tamoxifeno, usado no combate ao câncer de mama, podem acumular-se na retina e causar toxicidade”, explica Valença.

Doenças reumatológicas, como o lúpus eritematoso sistêmico, podem provocar vasculite (inflamação nos vasos sanguíneos) da retina, e drogas usadas no controle da doença, como a cloroquina e a hidroxicloroquina, também podem causar toxicidade retiniana. Esses são apenas alguns exemplos, pois a lista é muito extensa.

PREVENÇÃO – De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO), 6,6 milhões de brasileiros possuem deficiência visual e 582 mil são cegos. A OMS, por sua vez, alerta que 60% dos casos de cegueira e deficiência visual poderiam ser evitados em caso de detecção precoce e tratamento adequado. A falta de informação e consultas periódicas ao oftalmologista são as principais causas do aumento de problemas na visão.

Frente a esse quadro, o retinólogo Marcelo Valença alerta sobre a necessidade dos exames preventivos para a preservação da saúde ocular em geral e da retina. “Muitas doenças oculares, como Glaucoma, Doença Ocular Diabética e Degeneração Macular Relacionada à Idade muitas vezes não têm sintomas no início. Por isso, um exame de fundo de olho anual é a única maneira de detectá-las em estágios precoces”, alerta. Ele lembra ainda que: “fazer exercícios físicos com regularidade e manter uma dieta equilibrada, com aporte adequado de vitaminas, antioxidantes, ômega-3 e luteína, sempre é benéfico para a retina”.

Serviço: Instituto de Olhos do Recife - (81) 2122.5000

Postagens mais visitadas deste blog

Reitora da UFRPE e secretário de Educação realizam reunião sobre creche escola em Dois Irmãos

Rodrigo Coutinho inicia reuniões da Comissão Especial do Plano Diretor do Recife na Câmara

TCE alerta DER para irregularidades na execução de contrato da BR-101

Após polêmica, Comissão de Cidadania define Juntas na presidência

Coluna do #BlogPautaPolítica

Em primeiro discurso na ALEPE, João Paulo Costa destaca prioridades do seu mandato

Coluna do #PautaPolíticaPE

"Vocês são considerados bandidos e assassinos", disse deputado ao presidente da Vale

Casal de bonecos, Zé Pereira e Vitalina, fazem tradicional viagem de barco pelo Velho Chico para anunciar o Carnaval

Wanderson Florêncio defende parque na Zona Sul do Recife e enfrenta protestos