Candidato a governador Zé Gomes (PSOL) apoia Plebiscito Popular por Constituinte da Reforma Política


O candidato a governador Zé Gomes (PSOL) foi o primeiro na disputa estadual em Pernambuco a apoiar o Plebiscito Popular por uma Constituinte Exclusiva para a Reforma Política. Durante entrevista nesta segunda-feira (1/9) ao radialista Aldo Vilela na Rádio Globo AM, Zé Gomes detalhou ainda quais serão os mecanismos de participação que população terá durante seu governo.

Articulado por movimentos sociais e entidades não-governamentais, o plebiscito consulta a população, de hoje ao dia 7 de setembro, se quer mudar o sistema político por meio de uma constituinte exclusiva e soberana. A ideia é coletar 10 milhões de assinaturas em todo o Brasil, para enviar ao governo e o Congresso Nacional. Também será possível votar pela internet, no endereçowww.plebiscitoconstituinte.org.br

“Temos que aproveitar o momento eleitoral para mobilizar a população para esta discussão. Nossa candidatura apóia integralmente este plebiscito e terá uma urna no comitê (na Rua da Santa Cruz, 190, Boa Vista) para quem quiser depositar seu voto”, disse Zé Gomes.

Ao falar sobre os protestos do ano passado, que ficaram conhecidos como “jornadas de junho”, o candidato do PSOL afirmou que houve vitórias concretas, como a derrubada da PEC 37 e do projeto de “cura gay”, além da redução dos preços das passagens de ônibus em várias capitais. “Temos em nossa chapa a participação de pessoas que foram muito ativas naquele momento, sobretudo na Frente de Luta pelo Transporte Público, da qual eu pude participar. Agora a nossa candidatura coloca o desafio de ir além da indignação”, assinalou. 

Segundo ele, o governo irá fortalecer a participação popular e o controle social. “Teremos as conferências públicas acontecendo no calendário regular e conselhos estaduais elaborando políticas públicas e avaliando as posições do governo”, disse. 

Indagado sobre a possível dificuldade de governar com uma Assembleia Legislativa com poucos deputados da base aliada, Zé Gomes afirmou que a gestão do PSOL é a única que pode garantir a independência do Legislativo para que cumpra o seu papel de legislar e fiscalizar o Executivo. E que a população, ao participar das discussões de políticas públicas, irá cobrar os parlamentares para que suas pautas sejam atendidas.

“Se a população souber o que está sendo debatido, vai querer participar. E os deputados terão, então, que justificar seus votos diante do que apresentaram nas campanhas”, afirmou.