Frente das Oposições confirma candidatura única ao governo de Pernambuco


No Agreste, "PE Quer Mudar" confirma candidatura única e arrasta 5 mil pessoas - No que foi considerado o maior dos eventos da frente das Oposições do estado, o movimento “Pernambuco Quer Mudar” anunciou, em Caruaru, neste sábado (3), que o grupo lançará candidatura única ao governo de Pernambuco nesta eleição. O nome será conhecido em abril. Antes, no dia 7, o conjunto terá novo encontro: no município de Ipojuca, na Região Metropolitana. Na Capital do Agreste, mais de 5 mil pessoas se reuniram no Arena Caruaru, numa demonstração de força política e compromisso em oferecer aos pernambucanos um novo projeto para fazer o estado voltar a crescer. A frente juntou 70 prefeitos, ex-prefeitos, vices, deputados estaduais e federais, além de vereadores, trabalhadores e representantes de setores da sociedade.

Anfitriã do evento, a prefeita Raquel Lyra (PSDB) destacou que o atual governo do estado não representa o povo de Caruaru e está numa luta insana em manter o poder pelo poder. “Decidi fazer política porque sei que é através dela que podemos transformar a vida das pessoas, mas não posso fazer isso sozinha. Hoje, não temos ajuda do governo do Estado. Ele está escolhendo quem pagar ou, simplesmente, não está pagando ninguém. A verdade a gente não sabe e a gente precisa de transparência. Essa união é uma saudação ao nosso futuro. Esse é o momento de esquecer cores partidárias e nos apoiar para Pernambuco melhorar”, afirmou.

Para o ministro de Minas e Energia, Fernando Filho, o atual governo não conseguiu manter unido o que levou anos para o ex-governador Eduardo Campos juntar com as mãos. "Hoje nós da oposição temos duas certezas: estaremos juntos nas eleições e vamos vencer a disputa", disse. O ex-governador Joaquim Francisco (PSDB) destacou que “mudar” não é apenas um verbo, mas uma proposta de mudança que gera esperança. “Esperança que o povo acredita de marchar num novo rumo para que efetivamente as mudanças ocorram. Por isso digo, esse palanque veio para ficar. Porque tem gente séria, competente e que sabe trabalhar", disse.

O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) comparou a situação de Pernambuco com a da Bahia e Ceará e cravou que, nos últimos três meses, Pernambuco está engolindo poeira dos estados vizinhos, em se tratando da segurança e do desemprego. “O Brasil está voltando a crescer e precisamos escolher quem vai liderar Pernambuco. Eu aprendi que é nas dificuldades que conhecemos uma liderança. Este governador que está aí não demonstrou nenhuma qualidade para merecer novamente os votos dos homens e das mulheres de Pernambuco. Decidimos que iremos continuar juntos, unidos, para fazer a maior frente política de oposição da história de nosso estado. Nosso povo já fez a opção pela mudança".

“Esse é um projeto coletivo. Aqui estamos para compartilhar as mudanças. O ato do Recife foi um aviso. Em Petrolina, o Sertão se encontrou. Hoje, em Caruaru, temos esse grande ato e em Ipojuca será ainda maior. É nesse caminho, o da mudança, que vamos seguir. Pernambuco precisa de um líder que devolva aos pernambucanos e pernambucanas o trabalho e a esperança”, bradou o deputado federal Bruno Araújo. Ministro da Educação, Mendonça Filho (DEM) cravou que o estado está desgovernado e sem liderança. “Ao mesmo tempo não tem liderança política para aglutinar as forças principais do Pernambuco de um lado e de outra parte as políticas públicas como saúde, educação, infraestrutura não chegam para atender o povo pernambucano. Falta saúde, falta segurança pública e o estado tem cada vez mais sua infraestrutura física, como estradas, deteriorada”, ressaltou.

 O senador Armando Monteiro (PTB) destacou que o grupo das oposições é um conjunto que tem história, experiência, juventude, decência e espírito público e vai, a partir de abril, iniciar o trabalho para apresentar uma nova agenda a Pernambuco. “Vamos ouvir a população e recolher contribuições para construir um novo projeto para o Estado. Aquele que merecer a escolha vai a escolha vai, em qualquer hipótese, ter que ter entusiasmo. Sou fiador desse compromisso que hoje se afirma em Pernambuco”, garantiu.

Último a discursar, o ex-governador João Lyra Neto (PSDB) acusou que o que a atual gestão diz na publicidade não condiz com a realidade do povo. “É por isso que esse movimento cresce mais a cada dia que passa, porque o povo quer uma nova realidade para o nosso estado. O crescimento político dessa união terá resultado daqui a alguns meses, quando será eleito o próximo governador de Pernambuco. A decisão desse conjunto é que não há projetos pessoais dessas lideranças. Daqui, sairá apenas um candidato a governador”, concluiu.

Fonte: Ascom

Postagens mais visitadas deste blog

Coluna do #BlogPautaPolítica

Inscrições abertas para estágio de nível médio no MPPE

João Fernando Coutinho terá grupo político participando das eleições 2020 para prefeitura de Pesqueira

Paulo Câmara anuncia o segundo escalão do Governo de Pernambuco

Coluna do #PautaPolíticaPE

2ª semana de janeiro tem superávit de US$ 1,766 bilhão na balança comercial brasileira

Coluna do #BlogPautaPolítica

Produção de petróleo e gás natural em 2018

Silvio Costa Filho propõe criação de Frente Parlamentar em defesa do Pacto Federativo

Grupo repudia tentativas de censura na Paixão de Cristo de Casa Amarela em Recife