Aliados que não conseguiram espaço no primeiro escalão reclamam do Palácio


Faltando menos de seis dias para tomar posse, o governador reeleito Paulo Câmara (PSB), está com a equipe do seu segundo mandato praticamente fechada. Ao mesmo tempo em que favorecerá companheiros de legenda, que integrarão boa parte do novo secretariado, o socialista concedeu espaço para algumas siglas que o ajudaram na campanha. Mas há dois grupos que reclamam de deslealdade e falta de atenção do Palácio, aliás, uma diminuição de espaço na futura gestão do governo estadual que se inicia em 1° de janeiro. 

Uma fonte ligada ao grupo preferiu não se identificar, disse que esperava respeito, ao menos um rodizio no comando das secretarias e o fortalecimento de espaço dos partidos aliados na administração estadual. “Temos bons quadros qualificados, principalmente para as áreas que vão precisar de habilidade política e técnica”, comentou. Agora, o que restará para os grupos escanteados do novo secretariado do governo Paulo Câmara será as indicações dos presidentes e dirigentes das autarquias estaduais, além de espaço na gestão do prefeito Geraldo Julio na Prefeitura do Recife.