Fátima Bezerra (PT), única mulher eleita governadora, afirma "que missão de governar exige amor e espírito público"


Em discurso na diplomação, a governadora eleita do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), ressalta que os mandatos são como procurações valiosas dadas pelo povo. "Sempre busquei honrar os votos que recebi, e essa é, sem dúvida, a mais importante procuração que já recebi", disse Fátima.

A governadora diplomada afirmou que terá dialogo com todos. "Essa missão exige de mim muita seriedade, amor e espírito público. Quero registrar aqui o meu compromisso com um governo ético e democrático. Quero estabelecer um diálogo franco, aberto e permanente com os Poderes, os sindicatos, movimentos sociais e empresários".

Fátima ainda ratificou a sua luta pela educação. "Com união de esforços, seremos capazes de semear esperança e colher direitos e dignidade. Agradeço ao povo potiguar que aqui me acolheu, quando cheguei, aos 15 anos. Aqui me encontrei com a luta em defesa do magistério, com a luta em defesa dos trabalhadores".

A petista foi a única mulher eleita para o governo de um estado, na região do nordeste, nas eleições de 2018. "O maior patrimônio que carrego comigo é o de exercer a atividade política com honradez e seriedade. E é isto que levo para o governo do Estado. O Rio Grande do Norte quebrou paradigmas ao eleger a primeira governadora de origem popular e a única mulher do Brasil", declarou Fátima.

Ela concluiu seu pronunciamento convocando toda população. "Por fim, encerro citando Guimarães Rosa, que diz que o que a vida quer de nós é coragem. Conclamo o povo do Rio Grande do Norte a, de mãos dadas, trabalhar por dias melhores."