Dois ícones do samba serão os grandes homenageados do Carnaval do Recife 2019


O sambista Belo Xis, há 45 anos, é compositor e intérprete da escola, na Bomba do Hemetério, que escolheu para pouso e morada de seu coração sambista. "O samba já é um gênero muito forte dentro da nossa cidade e, agora, vai ser ainda mais", comentou Belo Xis. Já a sambista Gerlane Lops, aos 44 anos de idade, consagrou-se um dos principais sinônimos de samba no Recife. "O mais importante é o povo, que eu acho que ficará feliz com essa homenagem", destacou Gerlane.


Belo Xis – Com 71 anos de idade, Antônio José de Santana, mais conhecido como Belo Xis, é bamba de nascença. Filho de pai e mãe de sambistas, cresceu entre rodas de samba intermináveis no quintal de casa. Chegou a ser jogador de futebol profissional, mudou-se para o Rio de Janeiro e passou por grandes clubes, como Santa Cruz, Sport, Vasco e Madureira. E quanto mais longe de casa estava, mais perto do samba chegava. Na Cidade Maravilhosa, conheceu e gravou com grandes sambistas como Zeca Pagodinho, Arlindo Cruz, Leci Brandão e Neguinho da Beija Flor. Lançou cinco LPs e sete CDs. E ganhou cadeira cativa na ala de compositores da Mocidade Independente de Padre Miguel. Mas seu coração é da Gigantes do Samba e ninguém tasca. Há 45 anos, é compositor e intérprete da escola, na Bomba do Hemetério, que escolheu para pouso e morada de seu coração sambista.


Gerlane Lops – Cantora e percussionista, Gerlane Lops descobriu a música cedo. Aos quatro anos de idade, já cantava no coral infantil Catavento. Mais tarde, decidiu rimar talento, prazer e vocação com formação. Sem soltar o microfone, estudou canto no Conservatório Pernambucano de Música e cursou Licenciatura em Música pela Universidade Federal de Pernambuco. Paralelamente, manteve uma intensa carreira nos palcos, com três CDS e um DVDs gravados e incontáveis apresentações no Recife e em diversas outras capitais do Nordeste e do País. Em mais de duas décadas de muito samba, já venceu vários concursos musicais, embalou muitas multidões e, aos 44 anos de idade, consagrou-se um dos principais sinônimos de samba no Recife.