Pressão faz Bolsonaro exonerar Secretário de Esportes


O presidente Jair Bolsonaro exonerou o secretário nacional de Esportes, o General Marco Aurélio Vieira. A demissão do principal nome do setor no governo vem após severas críticas do deputado federal pernambucano Felipe Carreras, na última semana, na Comissão de Esportes da Câmara dos Deputados. Sem apresentar nenhuma ação nos primeiros 100 dias do governo e sem planejamento para os próximos meses e anos, a pasta parecia abandonada. Tanto que, dos quatro secretários da secretaria nacional, apenas um foi nomeado até o momento, o coronel Ronaldo Lima, que está à frente da Secretaria de Futebol.

A ausência de iniciativas na área esportiva fez com que o deputado Felipe Carreras apresentasse um requerimento à Comissão do Esporte convidando o ministro da Cidadania, Osmar Terra, onde está a Secretaria Nacional de Esportes, e o general Marco Aurélio Vieira para uma audiência pública. A intenção é que eles pudessem explicar o que está sendo feito e o que ainda será realizado pela gestão no setor. Na quarta-feira, no dia da votação do requerimento, o próprio Osmar Terra tentou contato com o parlamentar pernambucano diversas vezes para conversar sobre o requerimento antes de ele ir a votação.

“Nós nunca ficamos felizes com esse tipo de exoneração. Ficaríamos felizes se eles tivessem realizando uma boa gestão e o esporte brasileiro estivesse crescendo. Porém, a saída do general Marco Aurélio apenas confirma o que falei na última semana, que existia algo muito estranho na secretaria de Esportes do Governo Federal. É impossível você passar 100 dias sem apresentar nenhum resultado, principalmente no início da gestão, quando tudo precisa ser muito célere para que o povo possa ver o trabalho. Ou ele não estava sabendo conduzir a pasta ou não permitiram que ele conduzisse”, afirmou Felipe Carreras.

A expectativa agora é para saber quem será nomeado como secretário. “É preciso priorizar o esporte. Já perdemos o ministério e não podemos perder mais nada. O que precisamos entender é o papel social do esporte. Investindo no esporte nós teremos condições de diminuir a criminalidade e estaremos ensinando conceitos básicos como respeito, disciplina e hierarquia às nossas crianças e adolescentes. Isso sem falar das Olimpíadas, que serão realizadas no próximo ano e ninguém fala sobre o assunto”, completou Carreras.