Câmara Municipal de Olinda nega "voto de aplauso" à Compesa

Tudo transcorria de maneira tranquila e calma na sessão plenária da Câmara Municipal de Olinda, ontem (25), até o momento em que o vereador Vlademir Labanca resolveu apresentar “Voto de Aplauso” para a Compesa, extensivo ao governador Paulo Câmara. Aí o tempo fechou na Casa Bernardo Vieira de Melo e, após intenso bombardeio dos demais vereadores, o parlamentar retirou a proposta de pauta, pois ficou claro que ela seria fragorosamente derrotada.

A vereadora Graça Fonseca disse que não há como justificar uma homenagem à empresa por conta dos péssimos serviços prestados em Olinda, seja pelo não fornecimento da água em vários bairros, ou mesmo pela buraqueira que a companhia tem produzido no município. “Voto contrário, pois Olinda é vítima da Compesa. Esta empresa é um imenso tatu, que esburacou toda a cidade”, afirmou.

O líder do Governo na Câmara, Severino Biai, conhecido crítico da Compesa, foi à tribuna reclamar dos péssimos serviços prestados pela empresa e solicitou que a votação fosse nominal. Além de Baiai e Graça Fonseca, manifestaram-se contrariamente ao “Voto de Aplauso” os vereadores Professor Marcelo, Jesuíno Araújo, Denise Almeida, Irmão Biá, João Pé no Chão e Jorge Federal.

O único voto favorável viria do vereador Ricardo Sousa, que justificou: “Voto a favor em respeito ao colega”, ressaltando, entretanto, que os serviços da Compesa provocam mais transtornos do que benefícios na mobilidade.

Péssima qualidade – Em Olinda, as queixas em relação à Compesa são muitas. Vão desde a falta d’água na maioria dos bairros da cidade e o descumprimento do calendário de abastecimento, até os entupimentos de esgotos e os inúmeros buracos deixados nas ruas após a realização de qualquer serviço executado pela empresa.