João da Costa convida Secretário para esclarecer plano de contingenciamento contra óleo

Preocupado com os possíveis impactos decorridos do aparecimento de manchas de óleo no litoral pernambucano, o vereador João da Costa (PT) convidou o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife, José Neves, para prestar esclarecimentos acerca do plano de contenção do município. A reunião, segundo o petista, servirá para que a Prefeitura do Recife detalhe quais serão as ações emergenciais a serem adotadas, caso as manchas de óleo cheguem as praias do Pina e de Boa Viagem. O encontro ocorrerá nesta terça-feira (22), no Plenarinho da Casa de José Mariano, a partir das 14h, e contará com a presença de diversos vereadores da Casa e segmentos sociais.

O vereador João da Costa destacou que, desde a última semana, diversas praias pernambucanas registraram manchas de óleo cru, mas o governo federal até o momento não adotou medidas urgentes para tentar controlar um dos maiores desastres ambientais já ocorridos no Brasil. O petista lembrou que na gestão da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) foi criado um fundo de contingenciamento, atrelado ao Ministério do Meio Ambiente, para ser acionado em episódios críticos como este que está acometendo a costa nordestina. Contudo, passados dois meses dos primeiros vazamentos de óleo, o governo Jair Bolsonaro ainda não se pronunciou para resolver o problema.

Para João da Costa, a responsabilidade é do governo federal, que só se ocupa em criminalizar a Venezuela sem provas concretas. "É preciso que o governo federal adote uma postura urgente para solucionar esse problema que está atingindo toda a costa marinha do Nordeste. Esse desastre está acabando com o meio ambiente e vai afetar de forma drástica a economia do Nordeste, que tem no Turismo uma importante fonte de geração de emprego e renda. E sem falar das pessoas que vivem do comércio de pescados e frutos do mar. É preciso o presidente Jair Bolsonaro e sua equipe se posicionem, identifiquem os responsáveis, os punam e repararem os danos já causos à fauna e flora naturais", cobrou o petista.

O vereador do PT enfatizou que o episódio das manchas de óleo só reforça a discriminação e retaliação que a região Nordeste sofre parte do Palácio do Planalto. "Tenho certeza de que se esse vazamento ocorresse nas praias de Copacabana ou Ipanema, no Rio de Janeiro, ou em praias de outros estados do Sudeste e do Sul, as providências já teriam sido tomadas. Não se pode calcular a contaminação, que deverá se estender por muitos anos", condenou João da Costa, que, na Câmara do Recife, preside da Comissão de Meio Ambiente.

Foto: Carlos Lima/Câmara do Recife